Mobilidade urbana em BH e SP: entenda como se locomover nas cidades

  • Home
  • Curiosidades
  • Mobilidade urbana em BH e SP: entenda como se locomover nas cidades

O trânsito intenso nas grandes capitais, aliado à carência de estacionamentos e à baixa eficiência do transporte público, tem levado muitas pessoas a buscar alternativas de mobilidade, como bicicletas e patinetes compartilhados. Então, se você está pensando em como se locomover em BH e SP, essa pode ser uma oportunidade de ver a cidade sob outra perspectiva!

As vantagens desses meios de deslocamento são a praticidade, a sustentabilidade (afinal, não há emissão de gases poluentes) e a economia. Além disso, existem opções de bicicletas e patinetes elétricos, que proporcionam ainda mais agilidade e contribuem para melhorar os problemas de mobilidade urbana em BH e SP.

Ficou interessado? Continue lendo e descubra em detalhes como funciona a locação desses veículos!

Os problemas de mobilidade urbana em BH e SP

De fato, as duas capitais — de Minas Gerais e de São Paulo, respectivamente — enfrentam diversos problemas relacionados à mobilidade. Além do tráfego intenso, a falta de locais apropriados para estacionamento e o fato de que o transporte público não é suficiente para atender à demanda causam diversos transtornos à população.

Em São Paulo, inclusive, existe hoje um rodízio de veículos: durante um dia da semana, definido de acordo com a placa, o motorista não pode circular com seu carro no chamado centro expandido da cidade. Esse sistema foi criado inicialmente para combater a poluição, mas acabou se transformando em uma alternativa para tentar reduzir o trânsito.

A solução, no entanto, não resolveu o problema. Além da frota crescente de veículos, muitas famílias optaram por ter um carro extra, justamente para utilizar no dia em que o veículo principal fica na garagem. Assim, o que ocorreu foi uma complicação: normalmente, esse segundo carro é mais antigo e recebe menos manutenção, o que, além de poluir mais, eleva o risco de congestionamento causado por eventuais panes.

O transporte público dessas cidades também não é eficiente, e por alguns motivos:

  • ônibus urbanos estão sujeitos ao congestionamento da mesma forma que os carros;
  • em geral, há um excesso de usuários para poucas linhas;
  • muitas vezes, para se chegar a outro ponto da cidade é necessário usar mais de um meio de condução, como a combinação de ônibus, metrô e trem, o que eleva o tempo de deslocamento.

Todo esse cenário implica mesmo um grande desafio para a gestão pública. E as dificuldades são crescentes, em função do crescimento da população e a concentração das pessoas nos centros urbanos. Algumas tentativas vêm ganhando espaço — como o transporte compartilhado (car sharing), já implantado em algumas cidades, que resolve, ao menos, a questão do estacionamento.

Ainda assim, quem aluga um carro ou utiliza serviços como táxi e Uber não se livra dos congestionamentos. A alternativa — mais sustentável, vale destacar — é caminhar ou optar pelo uso de bicicletas e patinetes elétricos. Esses veículos, cujo uso vem crescendo nos centros urbanos, tira o usuário do trânsito e permite que ele circule pela cidade com mais agilidade.

Como funcionam os patinetes e bicicletas elétricos

Trata-se de um serviço é compartilhado. Isso significa que o usuário pode retirar a bicicleta ou patinete em um determinado ponto da cidade e devolvê-la em outro, para que a próxima pessoa utilize em seguida. Há uma rede de pontos onde isso é possível, integrando as principais regiões das cidades.

Hoje, um dos serviços disponíveis tanto em São Paulo quanto Belo Horizonte é operado pela parceria entre a empresa brasileira Yellow e a mexicana Grin. Para alugar suas bicicletas ou patinetes elétricos, basta baixar um aplicativo para celular, por meio do qual é possível localizar uma unidade nas proximidades.

Vale dizer que é necessário ter mais de 18 anos e cadastrar um meio de pagamento para utilizar o app. Feito isso, é só escanear um QR Code para desbloquear o veículo na hora de usá-lo. No aluguel do patinete, o desbloqueio e o primeiro minuto custam R$ 3, somando-se R$ 0,50 por minuto adicional. Já a bicicleta pode ser desbloqueada por R$ 5, e cada minuto de uso custa R$ 0,40. O serviço está disponível das 8 h às 20 h.

Além dos cuidados básicos de segurança com o trânsito e o uso de capacetes, é importante que o usuário fique atento às regras para devolução do veículo. É necessário deixá-lo dentro da área sinalizada no app e, no caso da bicicleta, fechar manualmente um cadeado. Se esses cuidados não forem observado, será cobrada uma taxa extra.

Como se locomover em BH e SP

Bom, agora que você já conferiu como funcionam os serviços de patinete e bicicletas elétricas, que tal conhecer as cidades sob outra perspectiva? Se o motivo da sua viagem é turismo, esse meio de transporte vai te ajudar a chegar mais rapidamente a todas as atrações e locais que deseja visitar.

Isso sem contar o fato de que pedalar ou circular em um patinete é uma diversão extra para seu passeio! Tanto em São Paulo quanto em Belo Horizonte é fácil chegar aos principais pontos de interesse utilizando esses veículos, pois existem ciclovias e ciclofaixas em toda a cidade, o que facilita o deslocamento com segurança.

Já se o motivo da sua viagem é trabalho, essa alternativa de transporte é interessante porque te deixará livre de congestionamentos, podendo se deslocar mais rapidamente pela cidade — a velocidade orientada pelas empresas fornecedoras é de até 20 km/hora. Com isso, você terá mais tempo livre para descanso e, até, para aproveitar e conhecer melhor a capital.

Vale ressaltar que os veículos são monitorados em tempo real pelo proprietário (no caso, a Grin ou a Yellow). As empresas também oferecem cobertura contra seguro de acidentes para os locadores. Quanto ao recolhimento, para recarga, ele é feito durante o período noturno. Com o rastreio, se houver qualquer tipo de problema, como um acidente ou desvio suspeito do percurso, o usuário tem maior segurança.

Enfim, se você está programando uma viagem e quer saber como se locomover em BH e SP, considere essa possibilidade! Você vai se surpreender com o serviço e a agilidade dessa solução, que além de tudo ainda contribui para a mobilidade sustentável. Aproveite e escolha um hotel próximo aos pontos de entrega e devolução, ganhando mais praticidade!

Lembre-se apenas de que o serviço não está disponível durante o período noturno. Nesse caso, o ideal é ter um plano alternativo e baixar um aplicativo para transporte. Quer ajuda? Confira agora as 5 melhores opções de aplicativos de carro!

Deixe um comentário

Share This