Conheça Inhotim! Destino obrigatório em Minas Gerais

Quem visita Minas Gerais sabe que o Estado é cheio de surpresas. Além das belezas naturais tão características da região, existem também as riquezas culturais e históricas que encantam moradores e turistas ao redor do mundo.

Uma parada obrigatória para os visitantes está localizada perto da capital mineira, na cidade de Brumadinho, o Instituto Inhotim, considerado o maior centro de arte contemporânea do Brasil. É realmente um lugar incrível!

Se você adora ambientes culturais, este post vai lhe ajudar a entender por que você deve conhecê-lo e ainda dar dicas de como programar sua visita e curtir todas as atrações. É só conferir e se divertir!

O que é o Instituto Inhotim?

O Instituto Cultural Inhotim foi fundado em 2002 como uma instituição sem fins lucrativos, destinada à exibição e conservação da arte contemporânea. Conta à lenda que o local pertenceu a uma mineradora do século XIX e o nome do responsável era Sr. Tim, que na linguagem típica da região era chamado de nhô Tim, o que deu origem ao nome do parque.

Não sabemos se a história é real, mas a ideia de transformar a fazenda em uma mistura de museu de arte com jardim botânico foi do empresário Bernardo Mello Paz, para abrigar sua coleção pessoal.

O instituto também tinha como objetivo desenvolver ações sociais e educativas. Esse trabalho teve início em 2005, quando as escolas da comunidade local podiam realizar visitas agendadas com guias especializados.

Essas visitações foram muito importantes para finalizar a estrutura do parque, que no ano seguinte, em 2006, abriu as portas para o grande público.

Qual a importância para a arte contemporânea?

Você pode estar se perguntando por que ele é tão importante para a arte contemporânea. O acervo do instituto conta hoje com mais de 700 trabalhos de artistas nacionais e internacionais, divididos em uma área de 140 hectares para visitação.

Essa área é composta por galerias, obras a céu aberto, teatro, áreas voltadas para pesquisa e educação, jardim botânico e floresta, abrigando uma coleção de artes que é internacionalmente reconhecida.

Nas galerias da Fonte, da Mata, da Praça e do Galpão são recebidas anualmente obras temporárias e exposições itinerantes de artistas renomados ou até o momento desconhecidos.  

Outro ponto interessante é que todos os projetos acabam buscando a preservação da biodiversidade. Por isso, o instituto foi considerado uma Organização da Sociedade Civil de Serviço Público (OSCIP), título que se fortaleceu em 2010, ao ser considerado jardim botânico por conter cinco mil espécies de plantas, algumas ameaçadas de extinção.

Como aproveitar o seu dia?

Agora que você já conhece um pouco da história do instituto e já sabe como ele contribui na valorização da arte contemporânea como um todo, que tal algumas dicas de como aproveitar a sua visita?  

1. Compre seus ingressos online

Uma boa forma de evitar as filas (que são grandes) é comprar seu ingresso e passaporte online. Na portaria existe uma fila específica para quem já tem ingresso, e acredite, você vai entrar bem mais rápido!

2. Adquira o passe dos carrinhos elétricos

Se você só tem um dia para seu passeio, ou não quer organizar o próprio roteiro, uma dica é comprar um ticket dos carrinhos elétricos. Além de otimizar seu deslocamento entre uma galeria e outra, eles têm cinco paradas pré-definidas. Você só precisa relaxar e aproveitar!

3. Leve o mapa do local

Na entrada é distribuído o mapa do instituto. Por meio dele, você vai perceber que existem três rotas de visitação, divididas por cores: eixos rosa, amarelo e laranja. Saber para onde ir otimiza sua visita, e você não perde aquele tempo precioso pedindo informações.

4. Priorize o que deseja visitar

Na hora de decidir aonde ir, priorize as obras e instalações que são imprescindíveis para você. Não deixe de acrescentar no roteiro os jardins e as plantas exóticas cultivadas e que tornam o passeio incrível.

Ah! Sempre é bom conferir no site como o instituto recebe obras que não são permanentes. Vale a pena checar a programação do dia para incluir no seu roteiro.

5. Separe dois dias para visita

Se você quer conhecer o instituto com calma, mesmo que chegue cedo não vai conseguir realizar o passeio em um dia só. O tempo ideal para ver todas as galerias é de dois dias.

6. Use roupas e sapatos confortáveis

Embora os carrinhos estejam disponíveis, não dispense um bom tênis, ou um sapato ou sandália que possa sujar. Pense que você fará caminhadas e algumas trilhas para ir de um ponto a outro. E nada pior do que uma roupa que lhe deixe desconfortável.

Outra dica é levar roupas de banho. Existe um ponto no Parque, no eixo laranja, onde é permitido mergulhar! Aproveite para se refrescar e repor as energias.

7. Leve garrafinha de água e o filtro solar

Use filtro solar, pois nem todos os espaços são de sombra e nem sempre você vai estar de carrinho, não é mesmo? E leve uma garrafinha de água. Não descuide da sua hidratação!

8. Reserve dinheiro para a lojinha

A lojinha também é um ponto alto da viagem, você vai querer comprar lembrancinhas e recordações. Então, faça uma reserva para esse fim. Fica mais fácil de evitar os gastos desnecessários.

Como organizar sua viagem?

Agora que você já sabe o que fazer para aproveitar o seu dia, é hora de organizar a sua viagem:

Como chegar?

Brumadinho fica a 60 km de Belo Horizonte. Então, o aeroporto mais próximo é o da Pampulha. Também é possível desembarcar em Confins, mas ele fica um pouco mais distante: 95 km.

Aqui você pode decidir se vai ou não alugar um carro. Cabe destacar que o estacionamento em Inhotim é amplo e gratuito, mas também é possível chegar de ônibus ou de táxi.

Onde se hospedar?

Existem pousadas próximas ao instituto, mas uma forma de tornar sua viagem mais produtiva e até conhecer outros lugares é se hospedar em Belo Horizonte. A capital é próxima de tudo e pode facilitar sua vida.

Onde comer?

É proibido fazer piquenique no parque, afinal, há uma ampla estrutura de restaurante e lanchonete para todos os bolsos. Você não precisa se preocupar!

Para os amantes de cervejas artesanais, a dica é experimentar as edições que foram feitas em homenagem a Inhotim pela cervejaria mineira Wals. Elas são encontradas em qualquer lanchonete ou restaurante do museu.

Quando ir?

Fique atento a previsão do tempo, pois, em maio e setembro, a quantidade de chuvas costuma ser mais baixa, ao contrário de novembro e fevereiro.

Escolha também os dias da semana. Se você só tem um dia, escolha a terça-feira, considerada de pouco movimento. As quintas e sextas são ótimas para quem tem dois dias disponíveis. Os fins de semana costumam ser cheios, e nem sempre você conseguirá ver as obras de forma tranquila.

Quarta-feira é o dia da entrada gratuita. É realmente o dia mais lotado, pois as escolas também costumam agendar nesse dia.

  • Funcionamento: de terça à sexta-feira, das 9h30 às 16h30. Nos fins de semana e feriado, das 9h30 às 17h30.

  • Ingressos: R$ 44,00 inteira, exceto às quartas-feiras (entrada grátis).

Inhotim é um passeio diferenciado, vale a pena conhecer as obras e instalações e ainda aproveitar a natureza. Vindo para Minas Gerais, programe uma visita, você não vai se arrepender!

Gostou do post? Então, compartilhe com seus amigos nas redes sociais. Boa viagem!

Deixe um comentário

Share This