Aprenda como fazer uma boa viagem de carro pela Estrada Real

  • Home
  • Viagens
  • Aprenda como fazer uma boa viagem de carro pela Estrada Real

Você já ouviu falar da Estrada Real? Conhecida também como caminho do ouro, durante muitos anos foi usada para controlar a circulação de riquezas no Brasil Colônia e hoje recebe milhares de turistas do mundo inteiro, dispostos a percorrer seus quase 1600 quilômetros em uma jornada incrível.

Cercada por montanhas, a estrada dá acesso às pequenas cidades históricas de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro e quem passeia por ela aprende sobre a cultura e os costumes do local com as histórias contadas, orgulhosamente, pelos moradores.

Neste post, você vai saber um pouco mais sobre esse precioso patrimônio e como percorrer de carro um caminho que também pode ser realizado a pé ou de bicicleta. De carro você vai precisar de menos dias sem, contudo, afetar a programação turística. Boa viagem!

Conheça a história da Estrada Real

Percurso de ligação entre a antiga Vila Rica — hoje, Ouro Preto — e o porto de Paraty, a Estrada Real no século XVII era um caminho para transportar ouro e demais riquezas de Minas Gerais ao Rio de Janeiro.

Com um movimento intenso de tropeiros e mineradores em constantes viagens, surgiu, naturalmente, a necessidade de criar estruturas e paradas de apoio, dando forma aos vilarejos que mais tarde se tornaram pequenas cidades.

De lá para cá, muito se evoluiu, mas o patrimônio cultural se manteve vivo nos 179 municípios — 163 em Minas Gerais, 8 em São Paulo e 8 no Rio de Janeiro — que dividem a história da era de ouro do Brasil, fomentando a economia e gerando emprego nas pequenas cidades.

A viagem é longa, mas jamais cansativa. Pelo contrário, pois é quase impossível não encontrar algum atrativo em cada canto da estrada. As construções coloniais dão um ar bucólico e saudosista, enquanto as lojas de artesanatos oferecem cores e criativas peças confeccionadas à mão.

As cachoeiras são um convite da natureza para você saltar do carro e tomar um banho irresistível lavando a alma. São diversas as opções, com quedas exuberantes que surgem pelo caminho e favorecem a paisagem. Dependendo da época, você vai se impressionar com o volume de água.

A maioria das igrejas de beleza singular são construídas em estilo barroco representado pelo artista Aleijadinho — responsável por obras como o Santuário de Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, e a Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto.

Veja dicas para fazer uma boa viagem de carro

Há muito para conhecer na Estrada Real e você só precisará de disposição, um olhar atento e o coração aberto para receber toda a riqueza histórica de um país, tão repleta de detalhes que vai remetê-lo àquela época como se estivesse em um livro de história.

A estrada conta com quatro roteiros oficiais que, com características diferentes, formam um dos maiores e mais belos circuitos turísticos do Brasil. Conheça cada um deles!

Caminho Velho

Esse é primeiro percurso criado pela Coroa Portuguesa e liga Ouro Preto a Paraty. São 710 km percorridos em oito dias de carro entre estradas de terra e asfalto. Pelo caminho você vai encontrar trilhas, cachoeiras, grutas e igrejas, além de museus históricos.

As cidades turísticas de Minas são uma atração à parte — São João Del Rey, Tiradentes e Caxambu conservam suas histórias e arquitetura da época tradicional, além de culinária ímpar que você vai sentir água na boca só de contemplar.

Caminho Novo

Todo o ouro resultante da extração era enviado a Portugal por meio do Porto no Estado carioca, mas com os riscos constantes de ataques para extravio e roubo de carga, o Caminho foi criado como uma rota mais segura, passando por Lavras Novas, Juiz de Fora e Paraíba do Sul e chegando ao Rio por Petrópolis.

É um caminho mais curto, por isso, o tempo médio também diminuiu para 6 dias e oferecem as mesmas características do Caminho Velho — belas cachoeiras, trilhas, pequenas e aconchegantes cidades ao longo do trajeto com povo hospitaleiro.

Caminho dos Diamantes

Em Diamantina, cidade histórica de Minas Gerais, a extração do diamante era a principal fonte de riqueza naquela época. A sede da Capitania que ficava em Vila Rica precisava de uma estrada segura para fazer a ligação e, assim, transportar as pedras preciosas.

Com isso, uma nova rota foi aberta para facilitar a locomoção dos tropeiros que viajavam a trabalho. Ao passar pelos municípios de Mariana não deixe de conhecer a suntuosa Igreja de São Francisco de Assis.

Outro município que merece uma visita é o Serro, uma cidade que permite contemplar as montanhas do alto e uma paisagem de tirar o fôlego. É famosa também pela produção de queijos e doces deliciosos.

Esse é um caminho ainda mais curto, mas não menos interessante e pode ser percorrido de carro em quatro dias em uma aventura inesquecível. Em feriados prolongados, como Carnaval e Semana Santa, é comum ver turistas de todos os lados aproveitando os atrativos da região.

Caminho Sabarabuçu

Passando por Caeté, Glaura e Sabará, o caminho foi criado por se acreditar na existência de ouro no alto da Serra da Piedade, mas a riqueza da região era na verdade o minério de ferro, mas isso não elimina a beleza da região e os fatos históricos que você pode colher ao longo da viagem.

São apenas 160 quilômetros de estrada de terra e você vai precisar de apenas dois dias para concluir. Ideal para o final de semana, dependendo da época poderá ser agraciado com o famoso Festival da Jabuticaba em Sabará — você não vai conseguir voltar para casa sem levar uma garrafa de licor.

Todos os caminhos levam a Paraty, uma cidade histórica, construída entre os séculos XVII e XIX pelos escravos e praiana com charmosa arquitetura. As praias são lindas e o centro histórico encontra-se exatamente de frente para a baía.

Onde se hospedar

O Instituto Estrada Real (IER) foi criado para dar suporte e orientações aos viajantes. No site você vai encontrar indicação de redes hoteleiras que disponibilizam acomodações bem aconchegantes e a preços justos.

Cuidados com a segurança

Embora a estrada seja bem sinalizada, antes de viajar faça uma revisão completa do carro para evitar surpresas desagradáveis. Retire no IER o passaporte para registrar sua viagem. Existem paradas oficiais onde você poderá solicitar o carimbo de conclusão ao longo do percurso.

Dê total atenção às placas

Em toda a extensão da Estrada Real existem placas em formato triangular confeccionadas para auxiliar durante o trajeto. Elas são indicativas das coordenadas geográficas e das cidades mais próximas para ajudar você a se localizar e gerenciar melhor o tempo.

A Estrada Real é uma das melhores opções de turismo do país. Além de se divertir na viagem, você também vai adquirir conhecimento histórico. Inclua essa programação no seu planejamento e conheça as belezas dessa região.

Você achou interessante este texto sobre a Estrada Real? Já está de malas prontas à espera da primeira oportunidade para cumprir um desses roteiros? Aproveite então, a visita para assinar a nossa newsletter e receber as nossas atualizações na sua caixa de entrada!

Deixe um comentário

Share This