A origem e curiosidades do bairro Savassi, em Belo Horizonte.

Que Belo Horizonte é uma cidade especial, com a capacidade de misturar hospitalidade e modernidade nas mesmas ruas, ninguém discute. A capital de Minas Gerais é conhecida pela sua beleza (e seu belo horizonte, é claro), pela diversidade cultural e gastronômica e pela simpatia de seus moradores.

Mas se você está a passeio e tem poucos dias pela cidade, pode encontrar um pouco de tudo isso na região da Savassi. O bairro — que foi batizado graças a uma padaria — é, hoje, um dos mais descolados e interessantes de BH, abrigando os melhores bares (mais de 200), restaurantes, hotéis, shopping e lojas da cidade.

Quer saber mais desse lugar incrível e sua história? Basta continuar a leitura!

A origem da Savassi

Entre 1940 e 1977, a confluência da Avenida Cristóvão Colombo com a Rua Pernambuco abrigou uma padaria de uma família de descendentes italianos: a família Savassi. O local também funcionava como cafeteria e leiteria, bem do estilo europeu.

Aos poucos, belo-horizontinos de vários bairros vinham se juntando à “turma da Savassi”, se reunindo para apreciar um café, um bom quitute e uma prosa irresistível. Um de seus clientes ilustres era JK!

Além da Padaria Savassi, o bairro tinha outros locais Igualmente charmosos, como a Livraria Quixote e o Cine Pathé, que ajudaram a criar o ambiente inigualável que existe até hoje.

Uma curiosidade: estava tudo pronto para que a padaria se chamasse 13 de Maio (antigo nome da Praça Diogo de Vasconcelos), mas a família mudou o nome em cima da hora!

Um bairro novinho em folha

Inicialmente, a Savassi fazia parte do bairro Funcionários. Em 1991, um projeto de lei reconheceu a área como a região da Savassi — mas ainda fazendo parte do tradicional Funcionários.

Foi apenas em 2009 que a Savassi se tornou um bairro de verdade, oficializado por lei.

A hora de dormir

Como dissemos, a Savassi, em seus primórdios, era parte do bairro Funcionários. E é ali, no alto da Rua Piauí que estava (e ainda está) o Corpo de Bombeiros, que, às 22h em ponto, tocava o “toque de recolher” do bairro: um corneteiro do quartel dava o sinal e os moradores das casinhas de muro baixo obedeciam, se recolhendo para descansar.

O Pirulito na Savassi

Nem o famoso obelisco que fica no coração de Belo Horizonte resistiu e foi curtir a badalada região centro-sul!

Brincadeiras à parte, o Pirulito ficou, provisoriamente, no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas com Cristóvão Colombo, entre 1963 e 1980, enquanto a região central passava por reformas.

As últimas reformas

Em 2011, a Savassi passou por algumas reformas. A sua praça, Diogo de Vasconcelos, foi restaurada e teve os seus 4 quarteirões fechados para o trânsito.

Tal mudança recuperou parte do clima bucólico (com mesinhas nas portas dos bares), mas, por outro lado, o processo da reforma e a retirada do trânsito prejudicou, infelizmente, alguns comércios.

Porém, a região continua rica e de portas abertas ao mercado empresarial e de economia criativa, abrigando ótimos hotéis e várias empresas jovens relacionadas à criatividade e à arte.

O que, afinal, torna a Savassi tão magnética e especial? Seriam os quarteirões bucólicos? A noite badalada? A cultura em cantinhos escondidos? A criatividade no ar, durante o dia e a noite? Cada amante desse bairro tem uma resposta e, acredite, todos estão certos!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a origem e as curiosidades da Savassi? Então, compartilhe este post em suas redes sociais, para que mais pessoas se encantem com esse lugar incrível!

Deixe um comentário

Share This