5 bares que comprovam que BH é uma cidade criativa da gastronomia

Cidade Criativa da Gastronomia

Que Belo Horizonte é a cidade dos bares e da boa comida, ninguém discute. Agora, quando isso é reconhecido por uma entidade de alcance mundial, a conversa fica mais séria.  A capital mineira recebeu o título de Cidade Criativa da Gastronomia da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) em outubro de 2019.

Esse é um reconhecimento formal à uma das características mais destacadas de BH. Na prática, significa que Belo Horizonte está comprometida com as metas globais de desenvolvimento sustentável.

A importância da gastronomia na cidade é observada em números: aproximadamente 40% dos empregos gerados em Belo Horizonte estão nesse setor. Apenas de maneira formal, são 21 mil pessoas empregadas. Por ano, o setor movimenta R$ 4,5 bilhões. O levantamento é do Ministério do Turismo.

Para aproveitar o melhor da culinária belo horizontina, neste post, destacamos cinco bares que comprovam que BH é uma cidade criativa da gastronomia.

1- Querida Jacinta 

Bar, cafeteria, cervejaria e restaurante, o Querida Jacinta fica no Bairro Santa Efigênia, Zona Leste da capital. É bem moderno: foi aberto em 2018. O charme do lugar é notado logo na recepção, com decoração vintage.

Quando a grande porta de metal se abre, o que se vê é um grande espaço, com dois andares, cadeiras coloridas, mesas aconchegantes, cozinha aberta, paredes pintadas e diversas opções de cervejas artesanais e comuns, incluindo o chopp da casa, o Jacinta Amber Lager.

Para quem ama a típica comida de buteco, o cardápio não decepciona: linguiças artesanais, pasteizinhos de queijo com alho poró e joelho de porco são alguns dos aperitivos. Para quem não abre mão do prato principal, tem arroz de costela, leitão assado e cupim com molho de laranja.

Não deixe de experimentar o prato chamado Coxa Creme: coxa de galinha inteira empanada e recheada com queijo. Crocante por fora e muito suculenta por dentro. Imperdível! 

2- Cantina do Lucas

Instalada no lendário Edifício Maletta, esquina da Rua da Bahia com Avenida Augusto de Lima, a cantina foi ponto de encontro de artistas e intelectuais na capital em outros tempos. Milton Nascimento, Toninho Horta e Roberto Drummond são alguns dos nomes que frequentavam a casa.

A tradição é tão grande que o bar recebeu o título de Patrimônio Histórico e Cultural da cidade, em dezembro de 1997. Além das massas, como o nome sugere, e carnes, o cardápio conta com porções e pratos tradicionais da culinária mineira.

Pastel de angu, costelinha com mandioca frita, língua ao molho madeira e lombo com tropeiro (lombo grelhado, arroz, feijão-tropeiro, couve, torresmo e linguiça) são alguns dos itens que valem a visita. 

3- Amadeus

Localizado no Royal Boutique Savassi,o restaurante Amadeus possui uma cozinha variada, que oferece em cada dia da semana um prato típico de um país ou região. Seu buffet conta ainda com saladas, antepastos, peixes, massas, carnes e comida japonesa. Além da opção a la carte.

Para os amantes de vinho, o Amadeus possui uma das maiores adegas climatizadas de Minas Gerais, com 3.200 rótulos dos mais variados países, que pode ser visitada. Os vinhos podem ser consumidos no próprio restaurante ou, se o cliente preferir, adquiridos para serem consumidos em casa ou para presentear.

Se você gosta de culinária étnica e versatilidade na hora de escolher seu cardápio, o restaurante é uma ótima opção!

4- Mineirinho

Comida boa, farta e preços convidativos. Dá para resumir assim quando o assunto é o Mineirinho, que fica na rua Espírito Santo, no coração da cidade. É um daqueles bares típicos de Belo Horizonte: bancos ao redor de um enorme balcão em formato de letra U, estufa e mesas na calçada. Aqui, o carro-chefe é o tradicionalíssimo feijão-tropeiro. A porção desse prato, acompanhada por arroz, batata frita e um generoso bife de frango à milanesa é sensacional!

5- Café Palhares 

Kaol. Já ouviu falar nessa sigla? Significa Cachaça, Arroz, Ovo e Linguiça. Você pode ter estranhado a presença da letra “K”, mas é assim mesmo. Ela foi incluída para dar mais “pompa” ao prato, por influência do jornalista, poeta e advogado Rômulo Paes, importante intelectual da história de Belo Horizonte. Com o passar do tempo, o prato recebeu mais itens: farofa de feijão, couve, torresmo e molho de tomate, que dá um toque especial. 

O Café Palhares, que fica na rua dos Tupinambás, no Centro, é um dos bares mais tradicionais da cidade. São mais de 80 anos de fundação. Lugar imperdível para quem curte a comida mineira e a história da capital. 

Como bônus, não podemos esquecer do Mercado Central, estabelecimento com mais de 90 anos onde se encontra sabores típicos de todas as regiões de Minas.

E então, o que achou da nossa lista? Nela, juntamos tradição e modernidade para apresentar alguns bares que fazem de Belo Horizonte uma Cidade Criativa da Gastronomia. Aproveite a capital e as delícias de sua culinária diversificada! 

Compartilhe este post com seus amigos e deixe nos comentários o que achou das nossas sugestões.

Tags:
Deixe um comentário
Share This