4 obras de Oscar Niemeyer para conhecer em BH!

Belo Horizonte, a capital de Minas Gerais, é reconhecida por inúmeros atrativos, que vão desde os seus encantos naturais, até a sua riqueza gastronômica e boêmia. A capital mundial dos botecos tem cerca de 28 bares por metro quadrado, além de uma vasta seleção de restaurantes. Mas existe um outro grande atrativo na cidade mineira: as obras de Oscar Niemeyer.

Na verdade, mesmo que alguém mais desavisado circule por BH sem saber que ali estão algumas das grandes criações do mestre da arquitetura, seria impossível passar em frente a lugares como o Edifício Niemeyer ou a Igreja São Francisco de Assis e não ser atraído imediatamente. 

O trabalho de Niemeyer na cidade se destaca, até hoje, por sua originalidade, traços marcantes e únicos. Quer saber quais são as principais obras e onde encontrá-las? É só continuar lendo o nosso artigo!

Niemeyer no Brasil

Apesar dos grandes trabalhos realizados na capital mineira, Oscar Niemeyer (1907 — 2012) era carioca, e além dos seus projetos em BH, o arquiteto é o responsável por grandes obras em todo o Brasil: é dele, por exemplo, o projeto do Parque Ibirapuera e o Edifício Copan — ambos em São Paulo — e o plano piloto de Brasília, que inclui O Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional, a Catedral de Brasília e o Palácio do Planalto.

Todos esses trabalhos na capital do Brasil, vale lembrar, foram realizados a partir de 1956, a convite do então presidente, Juscelino Kubistchek.

Levam a sua assinatura, também, o Museu de Arte Contemporânea de Niterói e o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. São mais de 600 projetos em todo o mundo — como o Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer, na Espanha —, criados com maestria por um dos maiores representantes da arquitetura moderna da história.

1. Conjunto Arquitetônico da Pampulha

Hoje em dia, a região da Pampulha é bastante visitada pelos turistas, conhecida por suas belas residências e seus atrativos em torno da lagoa que leva o mesmo nome do bairro: ali, é possível se exercitar, curtir alguns bares e restaurantes e se encantar com a graciosa igrejinha de São Francisco.

O que poucos sabem, é que o local, construído entre 1942 e 1944, foi encomendado por JK para que começasse a ser desenvolvida a região norte da capital mineira. O então prefeito solicitou a Niemeyer uma igreja, um cassino, uma casa de baile, um hotel e um clube.

E assim fez o jovem arquiteto, transformando a zona norte em um dos pontos mais lindos da cidade. Dentre as suas construções, podemos destacar:

Museu de Arte de Pampulha

A primeira obra do Conjunto a ser criada foi o prédio do cassino — que funcionou como a casa de jogos até 1946, quando a diversão foi proibida.

Em 1957, a edificação foi transformada em museu, o MAP, que atualmente possui um acervo de mais de 1400 obras de arte modernistas e contemporâneas, com trabalhos expressivos de Guignard, Di Cavalcanti, Ceschiatti e muitos outros.

Igreja São Francisco de Assis

Acredite: o visual moderno da inconfundível igrejinha azul causou tanto impacto na sociedade mineira que ela simplesmente não foi aceita como um templo religioso para os belo-horizontinos.

Por isso, a obra criada em 1943 ficou fechada até 1959! Somente a partir daí começaram a ser realizadas as missas no espaço. Um verdadeiro desperdício, não é verdade?

Não deixe de comparecer nos horários de missa e visitação para ver de perto os painéis de Portinari e as obras de Ceschiatti que decoram o interior da igreja, deixando-a ainda mais incrível.

Casa do Baile

A interdição do cassino prejudicou diretamente o funcionamento da Casa da Baile que, por muitos anos, foi o ponto de encontro dos jovens mineiros.

O centro de lazer e entretenimento da capital é, hoje, o Centro de Referência de Urbanismo Arquitetura e Design. Vale a visita para ver de perto como os avós mineiros se divertiam em sua juventude!

Pampulha Iate Clube

Esse projeto foi criado em parceria com Niemeyer, Burle Marx e Portinari. Só assim já podemos visualizar a magnitude desse clube, o PIC, projetado para atender a mais alta sociedade belo-horizontina da década de 60.

Ao olhar para a arquitetura do clube, tente perceber a genialidade de Oscar: a construção remete a um barco que se joga nas águas da Lagoa da Pampulha.

2. Edifício Niemeyer

Saindo da Pampulha e seguindo diretamente para a belíssima Praça da Liberdade, chegamos ao Edifício Niemeyer. Uma daquelas obras que citamos no início do texto: impossível passarmos batido e não pararmos para admirar esse prédio que, até hoje, é diferente de tudo o que encontramos na arquitetura da capital.

Suas curvas sinuosas e inconfundíveis remetem às serras mineiras e podem ser vistas de vários pontos da região.

Construído nos anos 50 e tombado como patrimônio histórico, o prédio abriga 22 apartamentos e teve, recentemente, a sua fachada restaurada.

Uma curiosidade interessante é que essas primeiras reformas emergenciais na fachada do edifício foram custeadas pelos próprios condôminos. Mas ainda existem reparos para fazer em uma obra cara que segue em busca de patrocínio.

3. Cidade Administrativa de Belo Horizonte

Uma das últimas obras de Niemeyer — concluída em 2010 — é o audacioso Centro Administrativo de BH: em uma área de 790 mil metros quadrados, com áreas verdes e dois lagos, o arquiteto projetou um complexo de 5 prédios, mais de 70 mil metros quadrados de vidro e o toque Niemeyer da inovação, do inesperado e do queixo caído de todos que passam pela rodovia que leva à sede oficial do Governo de Minas Gerais.

Para você ir se preparando, saiba que o projeto tem simplesmente um dos maiores prédios de concreto suspensos do mundo!

4. Roteiro Niemeyer

Se você vai a Belo Horizonte com pouco tempo livre ou já pretende ir direto conhecer as obras desse mestre da arquitetura moderna, pode contar com o Roteiro Niemeyer: um passeio turístico pelo trabalho do arquiteto na cidade. 

O passeio percorre vários bairros da capital e dura cerca de cinco horas. Para saber mais, procure o Guia Turístico da Belotur ou entre em contato pelo telefone (31) 3277-9707.

​Incrível, não é mesmo? Niemeyer foi um homem a frente de seu tempo, que não tinha medo de arriscar nem de ser grandioso. E para a nossa felicidade, deixou espalhado pelo mundo o seu acervo — que encanta e inspira. Belo Horizonte, especialmente, tem muitas das obras de Oscar Niemeyer e vale muito a visita!

Estando por lá a negócios, não deixe de conferir as seis mais famosas casas de shows para se divertir depois do trabalho.

Deixe um comentário

Share This